Pauliteiras de Miranda

Para uns, a história só é digna se for feita. A outros, resta-lhes a história contada e ouvida. Para elas, a história serve para ser desafiada. E a 25 de Maio de 2010 nasce um novo grupo: as Pauliteiras de Miranda do OUP. Três dias mais tarde, após alguns meses de dedicados ensaios, as Pauliteiras protagonizam o momento da estreia no Contagiarte. E, assim, a força imposta pelos homens na dança dos paus, é substituída pela graciosidade e pela elegância da dança no feminino, interpretada nos lhaços Campanitas de Toledo, Padre d’Antonho, Yêrba e 25 de roda.

As Pauliteiras de Miranda assumem-se, naturalmente, como mais um produto dinâmico de inovação e actualização cultural das tradições que o Orfeão Universitário do Porto tem como missão divulgar, no país e no mundo.